Associação Brasileira de Recursos Hídricos
 
Facebook
Linkedin
Twitter
SISTEMA DE REVISÃO: SUBMETA SEU ARTIGO
   
Login / Cadastre-se
 
Clique para ampliar...
REGA - Revista de Gestão de Água da América Latina - ISSN 2359-1919
VOLUME. 3 - Nº. 1 - JAN/JUN - 2006
ARTIGO
Gestão de recursos hídricos usando modelagem econômico-hidrológica integrada na identificação de alocação ótima de água entre usos múltiplos
Resumo:
A escassez de água exige que se formulem políticas para garantir uma alocação intersetorial eficiente do recurso, ao mesmo tempo em que se reverta a degradação do mesmo. A definição de uma alocação ótima ou ideal, por meio de modelagem, estabelece uma referência para que se possam avaliar mecanismos econômicos de implementação que mais se aproximem do valor ótimo. Este trabalho utiliza um modelo econômico-hidrológico que integra um grande número de relações físicas, econômicas, institucionais e agronômicas numa plataforma única para subsidiar decisões que digam respeito à alocação ótima de água, entre os usos alternativos, e vinhoto para fertirrigar as áreas plantadas de cana no primeiro trecho da bacia do rio Pirapama, localizada no estado de Pernambuco, Nordeste do Brasil. O modelo introduz a questão da qualidade não só ao incluir o uso da fertirrigação e determinar a alocação de efluentes das agroindústrias nas áreas plantadas de cana ao longo da bacia, mas também ao garantir através de restrições, níveis de qualidade adequados aos usos ao longo do curso d’água, bem como o não atingimento de limites de trofia nos dois reservatórios da área estudada. Envolve um grau de não-linearidade significativo e inclui mais de 10.000 variáveis e restrições. Para implementar a referida abordagem utiliza o método piece-by-piece (CAI, McKINNEY et al. 2001), através do General Algebraic Modeling System, software de alto nível utilizado para resolução de problemas de programação não-linear. O método decompõe o problema em dois sub-modelos, o primeiro considerando as restrições de disponibilidade hídrica e o segundo as restrições de qualidade de águas Os resultados do modelo mostram que os benefícios líquidos totais são substancialmente reduzidos, quando introduzem-se as restrições de qualidade de águas, mas principalmente aqueles relacionados ao uso industrial e a fertirrigação. Os benefícios também são reduzidos nos demais usos devido a disponibilidade hídrica que se reduz com a introdução das referidas restrições. Isto mostra que o modelo está considerando a diluição de cargas orgânicas como um outro uso, restringindo retiradas de água para que o rio possa se recuperar através do processo de autodepuração, em outras palavras usando a capacidade de assimilação dos rios.
 
Palavras-chave: Alocação ótima de água; modelos econômico-hidrológicos integrados; apoio a decisão na gestão de recursos hídricos; otimização não-linear; políticas de alocação de água. 

 

 

303 visualizações   123 downloads     Contabilizado a partir de 10/08/2014

 

 

 
ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA
DE RECURSOS HÍDRICOS

Onde Estamos
Av. Bento Gonçalves, 9500 - Caixa Postal 15029 - CEP 91501-970 - Porto Alegre - RS - Brasil

Nossos Contatos
Fone: (51) 3493 2233 / 3308 6652 - Fax: (51) 3493 2233 - E-mail: abrh@abrhidro.org.br

ABRH NA REDE
Facebook     Linkedin     Twitter