Associação Brasileira de Recursos Hídricos
 
Facebook
Linkedin
Twitter
SISTEMA DE REVISÃO: SUBMETA SEU ARTIGO
   
Login / Cadastre-se
 
Clique para ampliar...

RBRH
Revista Brasileira de Recursos Hídricos
Brazilian Journal of Water Resources

ISSN 2318-0331

VOLUME. 14 - Nº. 3 - JUL/SET - 2009
ARTIGO
Águas Subterrâneas na Zona Costeira da Planície do Recife (PE): Evolução da Salinização e Perspectivas de Gerenciamento
Resumo:
A explotação excessiva de aquíferos costeiros, em desequilíbrio com o processo de recarga, coloca o sistema sob risco de salinização por intrusão marinha. O fenômeno provoca a degradação do aquífero, tornando suas águas impróprias para diversos usos, incluindo o consumo humano. O sistema aquífero da Planície do Recife (PE) é composto por dois aquíferos profundos, Cabo e Beberibe, de características semi-confinadas, recobertos por um aquífero freático, o Boa Viagem. Em condições de superexplotação, os aquíferos costeiros da Planície do Recife apresentam-se vulneráveis à degradação por salinização, por diferentes causas. Vários poços nessa região vêm apresentando crescente teor de sais ao longo dos anos, e em alguns casos são desativados, em outros simplesmente abandonados, aumentando o risco de contaminação. No aquífero Cabo, na Zona Sul, o mais explorado, uma das possíveis causas apontadas para a salinização é a intrusão marinha. A salinização também pode ser provocada por conexão, através de poços, com o aquífero superior contaminado por disposição de esgotos, presença de mangues e ligação com estuários de rios. O fluxo vertical através da camada semipermeável que interliga os dois aquíferos também é outra causa provável da salinização do Aquífero Cabo. Seja por conexão com o aquífero superior salinizado, ou por intrusão marinha, a condição de super-explotação do sistema tem influência decisiva no incremento dos teores de salinidade das águas subterrâneas na Planície do Recife. Esse trabalho apresenta uma análise da evolução da salinidade em poços de região com elevada ocupação, alta densidade de poços e explotação intensa, onde vêm sendo observados rebaixamentos excessivos e salinização de diversos poços. O monitoramento foi iniciado em 1999 nos aquíferos Cabo e Boa Viagem. Perspectivas de gerenciamento também são discutidas. 
Palavras-chave: Aquífero costeiro, intrusão marinha, monitoramento hidroquímico. 

 

 

246 visualizações   98 downloads     Contabilizado a partir de 10/08/2014

 

 

 
ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA
DE RECURSOS HÍDRICOS

Onde Estamos
Av. Bento Gonçalves, 9500 - Caixa Postal 15029 - CEP 91501-970 - Porto Alegre - RS - Brasil

Nossos Contatos
Fone: (51) 3493 2233 / 3308 6652 - Fax: (51) 3493 2233 - E-mail: abrh@abrh.org.br

ABRH NA REDE
Facebook     Linkedin     Twitter