Associação Brasileira de Recursos Hídricos
 
Facebook
Linkedin
Twitter
SISTEMA DE REVISÃO: SUBMETA SEU ARTIGO
   
Login / Cadastre-se
 
Clique para ampliar...

RBRH
Revista Brasileira de Recursos Hídricos
Brazilian Journal of Water Resources

ISSN 2318-0331

VOLUME. 21 - Nº. 2 - ABR/JUN - 2016
ARTICLE
Occurrence and mobility of antimicrobials and hormones in Oxisol with application of swine slurry
Abstract:
The use of swine slurry as fertilizer in agriculture is a common practice in areas where thematerialis available. However, the presence of chemicals known as emerging organic pollutants in these wastes can contaminatewater bodies through runoff or leaching. In this work,we evaluate the occurrence of antimicrobials and hormones in soil profile in an experimental agricultural area by applying different doses of swine slurry. The work was performed in the twelfth year of an experiment involving two annual applications of swine slurry in an oxisol at doses of 0, 50, 100, and 200 m3 ha-1 and a control, to restore the amounts of P and K exported by grain crops. Soil solution samples were collected using suction lysimeters installed in soil layers at average depths of 20, 40, and 80 cm to determine the concentrations of antibiotics and hormones over a period of 60 days.The concentrations were measured by high-efficiency liquid chromatography. The results showed the occurrence of sulfadimidine antimicrobials, chlortetracycline, oxytetracycline, doxycycline, and the hormones estrone, 17--estradiol, and 17--ethinylestradiolat depths of up to 80 cm during the collection period. The concentrations of antimicrobials and hormones in the soil solutions varied over the sampling period and were not affected by the doses of swine slurry applied. An analysis of the concentrations observed in different layers showed that the application of swine slurry in an oxisolcan potentially cause groundwater contamination. 
Keywords: Agricultural waste. Emerging organic pollutants. Pollutant transport 

 

 

Ocorrência de antimicrobianos e hormônios em Latossolo Vermelho com aplicação de dejetos de suínos
Resumo:
A utilização de dejeto líquido de suínos como fertilizantes na agricultura é uma prática comum nas regiões onde há disponibilidade desse material. Contudo, a presença de substâncias químicas, conhecidas como poluentes orgânicos emergentes, nesses dejetos, pode causar a contaminação de corpos de água por meio do escoamento superficial e, ou, lixiviação. Este trabalho teve por objetivo avaliar a ocorrência de antimicrobianos e hormônios no perfil do solo em uma área agrícola experimental com aplicação de diferentes doses de dejeto líquido de suínos. O trabalho foi realizado no décimo segundo ano de condução de um experimento com duas aplicações anuais de dejeto líquido de suínos em Latossolo Vermelho distrófico, nas doses de 0, 50, 100 e 200 m3 ha-1 e uma testemunha, com reposição das quantidades de P e K exportados pelos grãos das culturas. Amostras de solução do solo foram coletadas com o uso de lisímetros de sucção instalados nas camadas de 20, 40 e 80 cm de profundidade, sendo determinadas as concentrações de antimicrobianos e hormônios durante um período de 60 dias. As concentrações foram determinadas em cromatografia líquida de alta eficiência. Os resultados demonstraram a ocorrência dos antimicrobianos sulfadimidina, clortetraciclina, oxitetraciclina e doxiciclina e dos hormônios estrona, 17--estradiol e 17--etinilestradiol até 80 cm de profundidade, durante o período de coleta. As concentrações de antimicrobianos e hormônios na solução do solo variam ao longo do tempo de amostragem e não foram afetadas pelas doses de dejeto líquido de suíno aplicadas. As concentrações observadas nas diferentes camadas analisadas mostram que a aplicação de dejetos líquidos de suínos em Latossolo Vermelho distrófico apresenta potencial de contaminação das águas subterrâneas. 
Palavras-chave: Resíduos agropecuários. Poluentes orgânicos emergentes. Transporte de poluentes 

 

 

104 visualizações   60 downloads     Contabilizado a partir de 10/08/2014

 

 

 
ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA
DE RECURSOS HÍDRICOS

Onde Estamos
Av. Bento Gonçalves, 9500 - Caixa Postal 15029 - CEP 91501-970 - Porto Alegre - RS - Brasil

Nossos Contatos
Fone: (51) 3493 2233 / 3308 6652 - Fax: (51) 3493 2233 - E-mail: abrh@abrh.org.br

ABRH NA REDE
Facebook     Linkedin     Twitter