Associação Brasileira de Recursos Hídricos
 
Facebook
Linkedin
Twitter
SISTEMA DE REVISÃO: SUBMETA SEU ARTIGO
   
Login / Cadastre-se
 
Clique para ampliar...

RBRH
Revista Brasileira de Recursos Hídricos
Brazilian Journal of Water Resources

ISSN 2318-0331

VOLUME. 20 - Nº. 3 - JUL/SET - 2015
ARTIGO
Comparação de Modelos para Determinação Indireta da Curva de Retenção de Água no Solo: Aplicação em Solos da Bacia do Arroio Taboão, RS
Resumo:
O conhecimento da capacidade de retenção de água no solo é de fundamental importância para o estudo dos processos físicos envolvidos no sistema solo-água. Sua representação é feita através da curva de retenção, obtida em laboratório, com a utilização de equipamentos específicos e amostras deformadas ou indeformadas, ou diretamente no campo, com o emprego de tensiômetros e medidores de umidade. O procedimento mais tradicional consiste em determiná-la em
laboratório utilizando amostras indeformadas e a Câmara de Richards. Apesar de consagrado, este ensaio com esse equipamento tem como inconveniente o tempo necessário para realizá-lo. Para evitar este problema, diferentes metodologias vêm sendo propostas visando a obtenção da curva de retenção de forma indireta, a exemplo das funções de pedotransferência. O objetivo desta pesquisa foi avaliar o desempenho de dois métodos dessa natureza a partir da comparação de seus resultados com os resultados da metodologia clássica. Os métodos avaliados foram o de Arya & Paris (1981) e os dois modelos propostos por
Walczak et al. (2006). A base de dados foi constituída de 78 amostras indeformadas coletadas em nove tipos de solos, sendo oito deles argilosos, na bacia do arroio Taboão na região do município de Pejuçara - Rio Grande do Sul. Os resultados obtidos mostraram que todos os modelos analisados subestimaram sistematicamente as umidades dos solos em relação às obtidas em laboratório. Em 65 % das amostras analisadas, os modelos de Walczak et al. (2006) apresentaram desempenhos superiores ao modelo de Arya & Paris (1981). 
Palavras-chave: Funções de pedotransferência. Câmara de Richards. Sistema solo-água. 

 

 

210 visualizações   146 downloads     Contabilizado a partir de 10/08/2014

 

 

 
ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA
DE RECURSOS HÍDRICOS

Onde Estamos
Av. Bento Gonçalves, 9500 - Caixa Postal 15029 - CEP 91501-970 - Porto Alegre - RS - Brasil

Nossos Contatos
Fone: (51) 3493 2233 / 3308 6652 - Fax: (51) 3493 2233 - E-mail: abrh@abrh.org.br

ABRH NA REDE
Facebook     Linkedin     Twitter