Associação Brasileira de Recursos Hídricos
 
Facebook
Linkedin
Twitter
SISTEMA DE REVISÃO: SUBMETA SEU ARTIGO
   
Login / Cadastre-se
 
Clique para ampliar...

RBRH
Revista Brasileira de Recursos Hídricos
Brazilian Journal of Water Resources

ISSN 2318-0331

VOLUME. 19 - Nº. 2 - ABR/JUN - 2014
ARTIGO
Proposta de Utilização do Método Grade of Membership (GoM) para o Desenvolvimento de Classificações Multivariadas Qualitativas em Recursos Hídricos: Aplicação para Zonas de Recarga de Aquíferos de Belo Horizonte-MG
Resumo:
A gestão dos recursos hídricos demanda continuamente novas ferramentas para subsidiar os processos decisórios, como no caso da alocação adequada de investimentos. Porém, as principais estratégias são baseadas em estudos de caso complexos e custosos, que não podem ser replicados em outras áreas e que envolvem elevada demanda de tempo e dinheiro. Todavia, muitos recortes espaciais já possuem certas bases de dados secundários disponíveis que podem ser utilizados para pesquisas de gabinete. Esse trabalho comunga dessa perspectiva ao introduzir no campo dos estudos dos recursos hídricos, um método estatístico desenvolvido nas ciências médicas para agrupar pacientes de acordo com sua susceptibilidade a determinadas patologias. O modelo estatístico qualitativo de máxima verossimilhança denominado Grade of Membership (GoM), baseado na teoria dos conjuntos nebulosos, é aplicado via sensoriamento remoto e alimentado por dados secundários. A partir de uma matriz de características, um algoritmo de máxima verossimilhança pode criar perfis (tipos) e alocar neles os elementos estudados, definindo graus de pertinência de cada elemento em cada perfil. Esse trabalho traz uma aplicação experimental do modelo GoM para avaliar a eficiência dos topos de morro em Belo Horizonte na recarga de aquíferos. Os topos das elevações do relevo são considerados zonas preferenciais de recarga de sistemas aquíferos em Belo Horizonte. Apesar da relativa homogeneidade hidrogeológica, as características ambientais da superfície são muito variadas, alterando as possibilidades de recarga da água meteórica. O modelo Grade of Membership (GoM) criou tipos ideais de topos fundamentados nos fatores limitantes e/ou facilitadores da recarga subterrânea. Os resultados confirmam que a recarga de aquíferos em Belo Horizonte está prejudicada pela ocupação humana e por limitações naturais do ambiente. O GoM, apesar de pouco explorado,
é um método potencialmente útil para as ciências ambientais, capaz de responder a questões que não podem ser esclarecidas pelos procedimentos matemáticos tradicionais 
Palavras-chave: Zonas de recarga de aquíferos, Grade of Membership, Topos de morro 

 

 

101 visualizações   51 downloads     Contabilizado a partir de 10/08/2014

 

 

 
ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA
DE RECURSOS HÍDRICOS

Onde Estamos
Av. Bento Gonçalves, 9500 - Caixa Postal 15029 - CEP 91501-970 - Porto Alegre - RS - Brasil

Nossos Contatos
Fone: (51) 3493 2233 / 3308 6652 - Fax: (51) 3493 2233 - E-mail: abrh@abrh.org.br

ABRH NA REDE
Facebook     Linkedin     Twitter