Associação Brasileira de Recursos Hídricos
 
Facebook
Linkedin
Twitter
SISTEMA DE REVISÃO: SUBMETA SEU ARTIGO
   
Login / Cadastre-se
 
Clique para ampliar...

RBRH
Revista Brasileira de Recursos Hídricos
Brazilian Journal of Water Resources

ISSN 2318-0331

VOLUME. 19 - Nº. 2 - ABR/JUN - 2014
ARTIGO
Avaliação Ambiental Integrada do Meio Físico nas Bacias do Alto e Médio Rio Uruguai: Análise Desagregada
Resumo:
A avaliação ambiental integrada é um instrumento importante para o licenciamento ambiental de hidrelétricas. Este artigo apresenta a avaliação integrada do meio físico realizada para as bacias hidrográficas do Alto e Médio rio Uruguai, mostrando as potencialidades do método pela possibilidade de efetuar a análise de forma desagregada . O estudo considerou diferentes aspectos como Geologia e Geomorfologia, Estabilidade de Encostas, Fragilidade à Erosão, Áreas de Mineração e Contaminação das Águas Superficiais e Subterrâneas (aquíferos), compostos, cada um deles, de diversas variáveis, as quais foram valoradas em uma escala de fragilidade com valores de 1 a 255, para facilitar o armazenamento e processamento computacional por Sistema de Informação Geográfica, e apresentadas na forma de mapas individuais. O cruzamento destes mapas gerou o mapa por aspecto e o cruzamento dos mapas dos aspectos, cujos pesos foram decididos pelospesquisadores, técnicos e gestores ambientais e de recursos hídricos envolvidos no projeto, gerou o mapa final do bloco do meio físico. A análise do mapa final mostra que a fragilidade é maior no centro norte da bacia do Médio e Alto Uruguai, com elevada acentuação ao longo dos cursos d-água, principalmente no próprio rio Uruguai. A partir da análise desagregada pode-se atribuir a alta fragilidade desta área às variáveis erosão, estabilidade de encostas e contaminação das águas. Já para as áreas isoladas de alta fragilidade, a análise desagregada indica uma relação com a variável Carga Orgânica das Populações e ocorrem junto aos municípios de Ijuí no Rio Grande do Sul e Concórdia, Chapecó e Joaçaba, em Santa Catarina. As áreas de baixa fragilidade ocorrem nos extremos leste e oeste da bacia, e se devem à menor possibilidade de contaminação das águas (baixa densidade populacional e menor índice agrícola), bem como a ocorrência de relevos mais suaves. Os mapas de aspectos (resultados desagregados) ou o integrado não decidem sobre a localização de nenhum empreendimento de geração de hidroeletricidade, mas auxiliam os órgãos ambientais a decidir com mais segurança onde localizar barragens e seus reservatórios com menor impacto ambiental ou trechos livres de empreendimentos 
Palavras-chave: Hidrelétricas, bacia hidrográfica, fragilidade ambiental. 

 

 

287 visualizações   150 downloads     Contabilizado a partir de 10/08/2014

 

 

 
ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA
DE RECURSOS HÍDRICOS

Onde Estamos
Av. Bento Gonçalves, 9500 - Caixa Postal 15029 - CEP 91501-970 - Porto Alegre - RS - Brasil

Nossos Contatos
Fone: (51) 3493 2233 / 3308 6652 - Fax: (51) 3493 2233 - E-mail: abrh@abrh.org.br

ABRH NA REDE
Facebook     Linkedin     Twitter