Associação Brasileira de Recursos Hídricos
 
Facebook
Linkedin
Twitter
SISTEMA DE REVISÃO: SUBMETA SEU ARTIGO
   
Login / Cadastre-se
 
Clique para ampliar...

RBRH
Revista Brasileira de Recursos Hídricos
Brazilian Journal of Water Resources

ISSN 2318-0331

VOLUME. 19 - Nº. 2 - ABR/JUN - 2014
ARTIGO
Investigação Experimental dos Valores de Coeficiente de Descarga em Tubos de Saída de Microrreservatórios
Resumo:
A utilização de microrreservatórios para controle de drenagem na fonte pode proporcionar a melhoria do sistema de drenagem urbana, desde que estes sejam dimensionados adequadamente. Nos projetos de drenagem é comum adotar-se o valor de 0,61 para coeficiente de descarga, sem avaliar a classificação da literatura clássica das tubulações de descarga, se funcionam como orifícios, bocais ou tubos curtos, classificação esta referente à relação entre comprimento e diâmetro da tubulação (L/D). Este fato pode ocasionar ineficiência do microrreservatório no amortecimento do pico de cheia. Este artigo analisa os valores de coeficiente de descarga utilizados na equação geral dos orifícios para dimensionar as tubulações de descarga de microrreservatórios. Para avaliar experimentalmente os valores de coeficiente de descarga para diferentes cargas hidráulicas, foi construído em laboratório um microrreservatório com 1,40 m³, com tubos de descarga colocados junto ao fundo do reservatório, fabricados com material plástico, de comprimentos de 15 e 25 cm e diâmetros de: 20 mm, 25 mm, 32 mm, 40 mm, 50 mm, 60 mm e 75 mm. Os ensaios em laboratório foram feitos para alturas de nível d-água no interior do microrreservatório que variaram a cada 10 cm, entre as alturas de 30 a 120 cm. Os resultados das simulações realizadas mostraram que de um modo geral os valores encontrados para os coeficientes de descarga variaram entre 0,88 e 0,96, não apresentando significante alteração devido ao nível de água no reservatório, na faixa de estudo (2 < L / D < 13). Esses valores foram superiores aos recomendados pela literatura e aproximadamente 50% maiores do que o valor usualmente utilizado em projetos de drenagem. Por fim, através de exemplo, mostrou-se o acréscimo de vazão provocado pelo dimensionamento incorreto dos tubos de descarga dos microrreservatórios e destacou-se a importância de maior rigor na adoção do coeficiente de descarga, com base na relação L/D e posição com relação ao fundo do reservatório. 
Palavras-chave: microrreservatório; orifício; coeficiente de descarga 

 

 

126 visualizações   63 downloads     Contabilizado a partir de 10/08/2014

 

 

 
ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA
DE RECURSOS HÍDRICOS

Onde Estamos
Av. Bento Gonçalves, 9500 - Caixa Postal 15029 - CEP 91501-970 - Porto Alegre - RS - Brasil

Nossos Contatos
Fone: (51) 3493 2233 / 3308 6652 - Fax: (51) 3493 2233 - E-mail: abrh@abrh.org.br

ABRH NA REDE
Facebook     Linkedin     Twitter