Associação Brasileira de Recursos Hídricos
 
Facebook
Linkedin
Twitter
SISTEMA DE REVISÃO: SUBMETA SEU ARTIGO
   
Login / Cadastre-se
 
Clique para ampliar...

RBRH
Revista Brasileira de Recursos Hídricos
Brazilian Journal of Water Resources

ISSN 2318-0331

VOLUME. 20 - Nº. 4 - OUT/DEZ - 2015
ARTIGO
Fragilidade ambiental e escassez hídrica em bacias hidrográficas: Manancial do Rio das Araras - Araras, SP./ Environmental Fragility and water scarcity in catchment basins: Headwaters of Araras River - Araras, SP.
Resumo:
RESUMO

Estudos envolvendo bacias hidrográficas raramente abordam os impactos gerados pelas atividades humanas em bacias utilizadas como mananciais de abastecimento. As ações humanas relacionadas à urbanização, industrialização e agropecuária, sem o planejamento adequado, são as que mais comprometem os serviços ambientais em tais bacias. No município de Araras (SP), assim como ocorreu para todo o Estado de São Paulo, foi constatada importante escassez hídrica no ano de 2014 com a redução das principais fontes de captação superficiais. A área estudada abrange 352,77 km², está delimitada pelas coordenadas geográficas 47°29-2,4- W; 22°13-52,7- S e 47°12-32,4- W; 22°26-42- S e pertence à UGRHI do Rio Mogi Guaçu - Alto Mogi. O presente trabalho analisou a fragilidade ambiental na Bacia Hidrográfica do Rio das Araras (BHRA), no intervalo de 15 anos (1999 - 2014), envolvendo cinco classes de fragilidade (Muito Fraca, Fraca, Média, Forte e Muito Forte) e sua relação com o cenário de escassez hídrica. As parcelas dessa bacia, que apresentaram fragilidade Forte e Muito Forte, e que tem como principal uso o plantio de cana de açúcar, correspondem às áreas de nascentes dos principais mananciais superficiais de abastecimento. Tal situação tem contribuído para a redução da disponibilidade hídrica, como consequência da combinação entre os atributos do meio físico e as atividades humanas.

Palavras Chave: Recursos hídricos. Planejamento territorial. Bacia hidrográfica do Rio Mogi Guaçu. Formas de relevo. Geoprocessamento.


ABSTRACT

Studies of river basins rarely address the impacts of human activities in basins used for water supply. Human activities involving urbanization, industrialization and agriculture, without proper planning, are those that most compromise the environmental services in these basins. In the municipality of Araras (SP), as well as throughout the state of São Paulo, there was major water scarcity in 2014 due to the reduction of the main surface water sources. The study area covers 352.77 km², and its geographical coordinates are 47°29-2,4- W; 22°13-52,7- S and 47°12-32,4- W; 22°26-42- S, and it belongs to the Mogi Guaçu River Water Resources Management Unit (UGRHI) - Alto Mogi. This study analyzed the environmental fragility in the Araras River Catchment Basin (BHRA), for a 15-year period (1999 - 2014). Environmental fragility was classified according to five ratings (Very Low, Low, Medium, High and Very High) and its relation to the water scarcity scenario. The areas of this basin, which showed high and very high environmental fragility, and which are mainly used for sugarcane cultivation, correspond to the headwater areas of the main surface water supply sources. This situation has contributed to the reduction of water availability resulting from the combination of the physical environment attributes and human activities.

Keywords: Water resources. territorial planning. Catchment basin of the Mogi Guaçu River. Relief forms. Geoprocessing. 
Palavras-chave: Recursos hídricos. Planejamento territorial. Bacia hidrográfica do Rio Mogi Guaçu. Formas de relevo. Geoprocessamento. / Water resources. territorial planning. Catchment basin of the Mogi Guaçu River. Relief forms. Geoprocessing. 

 

 

558 visualizações   341 downloads     Contabilizado a partir de 10/08/2014

 

 

 
ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA
DE RECURSOS HÍDRICOS

Onde Estamos
Av. Bento Gonçalves, 9500 - Caixa Postal 15029 - CEP 91501-970 - Porto Alegre - RS - Brasil

Nossos Contatos
Fone: (51) 3493 2233 / 3308 6652 - Fax: (51) 3493 2233 - E-mail: abrh@abrh.org.br

ABRH NA REDE
Facebook     Linkedin     Twitter